Amizade

Uma história pra contar (parte 2)

capa-post.-2

Confira hoje mais uma fase na trajetória de vida da nossa amiga Mirian… acompanhe seu amadurecimento e suas preocupações, mesmo tão jovem.

Se você não leu a primeira parte, é só clicar aqui ❤

Uma história pra contar…

Parte 2 – Uma menina que cresceu rápido demais

Era recorrente me ver preocupada com as contas que estavam se acumulando. Com os alimentos que estavam acabando. Durante o dia, eu inventava receitas com o que tinha no armário para fazer um lanche. Ficava muito ruim.

Logo passei a me sentir responsável por aquela situação. Então, aos 12 anos comecei a trabalhar. Eu cuidava da minha prima de 3 anos e acho que recebia R$30,00 por mês. Isso no ano de 1997.

Eu tinha preocupações de adulto. Não brincava mais. Meu tempo se dividia entre a escola, meu emprego e as obrigações do lar. Pouco me identificava com as meninas da minha idade. Não tinha tempo a perder com paquerinhas. Muito menos para os devaneios naturais de meninas naquela idade.

Com o passar do tempo, as coisas começaram a ficar mais difíceis. O casamento dos meus pais era um pesadelo, só que real. Raramente vivenciámos momentos de prazer e descontração. Havia motivo para chorar todos os dias. Nossa casa passou a ser o pior lugar do mundo onde poderíamos estar.

Meu alívio era o Snoopy. Ganhei ele quando era um filhotinho. Era um Cocker pretinho, muito fofo e carinhoso. Meu companheiro e amigo. Trazia leveza para os dias difíceis. Era um sopro de alegria nas nossas vidas.

Comecei a cuidar de duas crianças e acho que recebia uns R$70,00 por mês. Era um menino de uns 8 anos e um bebê de 7 meses. Minha responsabilidade aumentou. Eu estava exausta e nem tinha chegado aos 15 anos.

Ganhei outro filhotinho de Cocker, minha mãe quis dar o nome de Veludo à ele. Mesmo nome de um cachorro que ela teve quando criança. Ele era incrível, super doce e reservado. Não gostava de farra, sempre na dele e observador. Apreciador de música clássica (assistam o vídeo dele no Youtube). Meus doguinhos eram as melhores companhias. Como é bom ter um bichinho de estimação.

Mirian 3 - Veludo
Esse é o Veludo

Logo em seguida, comecei a cuidar de outro menino e eu recebia R$50,00 por mês. Dinheiro que nunca foi gasto comigo. Ajudava a pagar as contas. Eu estava com 17 anos e já sentia o peso da vida adulta.

Em 2003 eu comecei a trabalhar na casa de uma família muito rica. Eram três crianças indisciplinadas e muito mimadas. Eu trabalhava nos finais de semana. Durante a semana eu estudava. Foram dois anos de muito sacrifício. Eu estava muito infeliz e cansada de tanta dor e dificuldade.

Fui muito humilhada na casa desta família. Na época era muito imatura, eu não percebia que aquilo era errado. Eu estava apenas trabalhando. Exercendo a função para qual fui contratada. Fazendo o melhor que eu podia. Eu ouvia que era burra, pobre e sem futuro.
Comecei acreditar que eu realmente era um lixo. Com menos de 18 anos, já não tinha sonhos. Só desejava um pouco de paz e dias sem lágrimas. Não me lembro de ter alguma ambição. Só não queria continuar tendo aquela vida. Não sabia que caminho queria seguir, só sabia que não era aquele. Terminei o ensino médio e fiz um curso de informática.

Consegui um emprego no escritório de uma fábrica. Estava muito feliz por sair da casa daquela família. Feliz de ter minha primeira experiência profissional. Era uma empresa pequena, fazia um pouco de tudo. Aprendi muito.

Semana que vem você confere a última parte dessa linda história…

rodape-autor-blog-novo-diana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s