Cinema em Casa · Viva Conosco

Descobri que sou uma D.U.F.F.

Você já teve algum momento de revelação em sua vida? Uma verdadeira epifania onde tudo fez sentido?

Pois é, essa foi minha reação ao assistir a comédia romântica adolescente D.U.F.F.

the-duff

O filme The D.U.F.F

A jovem Bianca (Mae Whitman) descobre um dia que foi escolhidas pelas amigas de colégio como uma DUFF (Designated Ugly Fat Friend), ou seja uma amiga feia para que elas se pareçam ainda mais bonitas em comparação. Revoltada, Bianca pede a um atleta popular da escola para ajudá-la a melhorar o seu visual. (Fonte: Adoro Cinema)

À primeira vista, a sinopse não convence… Parecendo mais um filminho clichê norte-americano, com direito à todas as cenas clássicas das comédias românticas mais conhecidas do cinema.

Bem, tudo isso é verdade. Mas nem por isso o filme perde seu valor…

O filme é leve, engraçado, super divertido e envolvente – entrega o que promete. A personagem principal é cativante, os personagens mega estereotipados nos tira a responsabilidade de analisar tudo demais e apenas seguir o fluxo da narrativa.

d.u.f.f.

Ponto fraco: pegar atores de 30 anos para interpretar adolescentes de 17. Fora isso, é a garantia de um momento extremamente relaxante e com boas risadas.

Como descobri que sou um D.U.F.F.

Bem, se você leu a sinopse acima, viu que D.U.F.F. significa Designated Ugly Fat Friend (Designada Amiga Feia e Gorda) e que sua função é tornar as amigas populares e gostosonas ainda mais populares e gostosonas.

Quando o significado e descrição de D.U.F.F. é revelado no filme, meu mundo caiu. Meus anos na escola, e alguns da faculdade também, ficaram mais claros e eu entendi tudo: eu fui (e sou ainda algumas vezes) uma D.U.F.F.

Não que eu fosse obesa ou asquerosa… a D.U.F.F. não é necessariamente uma dessas coisas. Ela pode ser uma pessoa super normal, com nada que se destaque e é mais acessível do que as amigas lindonas. Esse era meu caso.

As memórias do meu ensino médio me acertam com força: as pessoas (inclusive muitos professores e funcionários da escola) sequer sabiam meu nome, eu era a amiga da fulana ou do outro fulaninho. Eu era a porta de entrada para os adolescentes cheios de hormônio se aproximarem…

E isso nem era o pior! E quando eu tinha um super crush no menino e aí quando ele finalmente vinha falar comigo (eu cheia de expectativas) era para perguntar da minha amiga. Sacanagem né!?

duff 1

Pois bem, apesar do soco de direita certeiro na minha cara e orgulho (o pouco que me resta), aproveitei bem o filme. E depois de processar essa descoberta, decidi que mesmo sendo uma D.U.F.F. me dei bem… casei com um homem incrível que me ama (e que, até hoje, não sei como isso aconteceu, rsrsrs).

E foi assim que descobri que sou uma D.U.F.F.

**Curiosidade: o filme é baseado no livro de mesmo título, na autora Kody Keplinger.

Trailer

Imagens: Reprodução/Google

autora-diana

2 comentários em “Descobri que sou uma D.U.F.F.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s