Viva Conosco

A versão 3.0

Oi! Já comentei por aqui o quanto 30 anos representa para mim, na minha trajetória, na minha vida

Sempre que posso, comento vez ou outra como essa idade tem sido extremamente disruptiva, trazendo mudança e superações antes nunca imaginadas.

E hoje, compartilho mais uma vitória pessoal aqui.

Vitória dos 30

Como comentei no último Melhores do Mês, sempre tive muito preconceito comigo mesma… com meu cabelo, corpo, tudo. O padrão de beleza pré estabelecido pela sociedade martelava (e ainda o faz, com uma frequência indesejada) na minha cabeça diariamente… um padrão que, para muitas, é inalcançável (e eu, entre essas).

Acreditava que para ser bonita, uma mulher tinha que ser, obrigatoriamente, super magra, com aquele cabelão caindo em ondas pelas costas, toda trabalhada no salto e na maquiagem, morrendo de fome…

Como estava enganada…

Pequenos passos

A mudança de pensamento começou com a aceitação dos meus cachos (diretamente relacionada à minha falta de habilidade com a escova e o secador).

Veio o encontro com o amor da minha vida, para quem eu sou a mulher mais linda (pelo menos, ele diz e que acredito, rsrsrs…).

Já me achava bonita? Não, claro que não… o processo é difícil. Só quem já foi perseguido na escola sabe o quanto brincadeiras de mau gosto marcam a gente. Mas estava no caminho…

Comecei a encontrar meu próprio estilo… antes, comprava roupas que eram lindas, sim, mas que não tinham ABSOLUTAMENTE NADA a ver comigo. Percebi que é possível ser bonita de tênis (a moda atual que o diga…).

Me viciei em tatuagens… arte que, eu acredito, enfeita nosso corpo e reforça nossa singularidade. Cada tatuagem tem um profundo significado para mim.

Comecei a perceber que beleza, empoderamento e sensualidade está muito mais relacionado a uma atitude, uma confiança presente em tudo que fazemos. Aqui é a parte mais complicada: ser confiante é acreditar nas suas forças, no seu poder, na sua capacidade de fazer o que quiser, sem se preocupar com julgamentos.

O maior desafio de todos

Essa última etapa, ainda está engatinhando. Exige um autoconhecimento de si mesmo que não consegui alcançar… ainda me comparo com famosas ou, até mesmo, desconhecidas que se destacam na multidão. A diferença é que, agora, eu tenho consciência desse comportamento e tento mudar meu padrão de pensamento… e te digo que não é fácil. Mas temos que seguir tentando!

Essa última etapa envolve todas as áreas da minha vida e, por isso, ela é o maior desafio que preciso superar.

No mês passado, dei um pequeno salto à minha aceitação.

O ensaio Diana versão 3.0

Comentei com a minha amiga Bia que queria muito fazer um ensaio de fotos sensuais.

Sim, isso mesmo que você leu: fotos sensuais.

Para uma pessoa com sérios problemas de autoestima como eu, isso é incrivelmente complexo. Mas fui em frente mesmo assim. Queria fazer um agrado para mim, me ver sob a perspectiva de outra pessoas e, óbvio, presentear o maridão.

Marcamos um dia aqui em casa… apenas ela e eu, de mulher para mulher. Escolhi as lingeries, comprei um vinho tinto Carménère, coloquei uma playlist propícia no Spotify e começamos a sessão.

Acho que nunca fiquei tão tensa e travada na vida! E olha que bebi uma garrafa de vinho sozinha…

Foi MUITO DIFÍCIL. Eu dava crise de riso e tentava “esconder” algumas partes minhas. Mas, é claro, que nem sempre isso era possível.

Foi revelador… pois além das fotos, fizemos uma sessão de desabafos. Me abri, de corpo e alma para a Bia, pois aquilo, para mim, era uma vitória. NUNCA pensei que seria capaz de fazer algo deste tipo.

E, claro, as fotos foram tratadas pela Bia e ficaram lindas. Me acho bonita em todas elas? Ainda não, mas tento. Tento parar de procurar os defeitos e enxergar o todo… Por que não posso ser bonita também? Por que não estou no padrão? Aff… cansei disso.

Olho e olho as fotos, compartilho algumas no meu Instagram pessoal e f*d@-se… é isso aí.

E agora, o processo continua…

Versão 3.0, Diana com 30 anos

Você deve estar curiosx para ver as fotos. Por isso, vou compartilhar algumas por aqui…

Não vou colocar todas, porque, claro, elas são para mim e para o marido. 😉

E a mensagem que deixo aqui é: se joga, se ame, se aceite, lute para ser feliz. Você, eu, nós merecemos (obrigada Nina, por me mostrar isso sempre…). Ah! E se quiser colocar silicone, fazer passagens e outros procedimentos, FAÇA! Isso é por você e para você. O que importa é como você vai se sentir. ❤

autora-diana

 

 

Um comentário em “A versão 3.0

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s