Cinema em Casa

4 motivos para aclamar “Eu não sou um homem fácil”

amanda

 

Esse post é mais uma cortesia da fofa Amanda Oliveira.

Ela já passou por aqui, apresentando um tema bem relevante para os dias de hoje, mas de uma forma descontraída: feminismo.

Hoje, ela aborda novamente esse tópico, mas sobre a perspectiva da novidade da Netflix, o filme francês Eu Não Sou Um Homem Fácil.

4 motivos para aclamar “Eu não sou um homem fácil”

eu não sou um homem fácil - poster

Se você ainda não ouvir falar nesse filme, vou te ajudar com algumas informações, sem muito spoiler (claro). “Eu não sou um homem fácil” é um lançamento da Netflix que já chegou arrasando na plataforma. O filme retrata uma sociedade machista de uma maneira nunca vista. O protagonista dessa história, o machista Damien acorda em um mundo onde homens e mulheres têm os papeis invertidos, agora quem manda são elas!

Provavelmente, você não imagina as consequências reais do machismo hoje e é natural que alguns aspectos passem desapercebidos por nós. Afinal, viver em uma sociedade machista é tudo que conhecemos. Mas, neste filme, você consegue imaginar um pouco como seria se nossos papeis de gênero fossem invertidos. Caso ainda não tenha se convencido a assistir, queria te dar alguns motivos não só para assistir, mas para virar fã desse filme fantástico!

1. Se você acha que temos igualdade de gêneros, pense de novo!

Talvez você ache que esse papo feminista é muito exagerado e esse pensamento é muito comum (infelizmente). No entanto, grande parte das pessoas tem medo do feminismo, mas este temor acontece, muitas vezes, apenas por desconhecimento, já que a maioria de nós acredita que as pessoas deveriam ter os mesmos direitos e liberdade.

eu não sou um homem fácil - cena masculistas

O filme mostra como o machismo está presente nas pequenas coisas. Mas, vale lembrar que o mesmo retrata uma realidade oposta da que vivemos hoje, mas não retrata aquilo que o feminismo busca, afinal, essa luta deseja uma sociedade com igualdade de gêneros e não um gênero sobreposto a outro.

2. Imagine e veja homens passando por “situações femininas”

Sabe aquelas situações que são vividas apenas por mulheres? Algumas delas como a “obrigação” social da depilação, o medo do assédio sexual nas ruas, a cobrança da comunidade para um relacionamento estável e tantas outras são retratadas pelo filme. Você verá essas situações sendo vividas por homens. Em alguns casos, tais cenas são extremamente cômicas, já que para nós, algumas situações jamais seriam vividas por um homem.

eu não sou um homem fácil - cena depilação

Mas, apesar do estranhamento inicial, com o transcorrer da história é possível validar o quanto a pressão social pode corroborar com circunstâncias não naturais. Por isso, com o decorrer do filme é possível legitimar que não existem contextos masculinos ou femininos. Portanto, segregações de gênero são meramente sociais.

3. Você verá mulheres em situações inusitadas

Outras situações inusitadas são aquelas em que as mulheres estão em papeis socialmente masculinos. Por exemplo, neste filme, as mulheres são aquelas que não se envolvem emocionalmente com seus parceiros. Também são aquelas responsáveis pelo sustento de um lar. Ainda, elas também serão aquelas que darão voz ao assédio nas ruas. Apesar de algumas dessas situações não serem ideais, é possível perceber o quanto a validação de uma comunidade é importante para manter contextos violentos. Afinal, mesmo que em muitos casos homens sejam fisicamente mais fortes do que mulheres, em uma sociedade que aceita esse tipo de violência, homens também seriam vítimas.

eu não sou um homem fácil - cena trocando o pneu

No nosso caso, a legitimação da violência também acontece, colocando diariamente mulheres como vítimas. Um exemplo disso, está no caso de denúncias sobre violência sexual, pois hoje a vítima é quem precisa provar que passou por uma situação violenta e não o agressor à priori, provar sua inocência.

4. Um filme leve de um assunto sério!

O mais legal é que o filme proporciona uma discussão polêmica e muito relevante, mas de maneira muito leve. Apesar de tratar de assuntos que vão desde a desigualdade até a violência sexual, os assuntos são discutidos de maneira fluída e pouco invasiva, dessa forma, é possível garantir o diálogo mesmo com aqueles mais fechados para o tema.

eu não sou um homem fácil - cena assédio

Então, se você ainda não assistiu ou conhece alguém que precisa conhecer essa temática, essa é uma boa pedida. Afinal, nada melhor do que uma boa indicação quando não sabemos o que assistir (todo mundo sabe que escolher um filme na Netflix pode demorar horas e horas).

Trailer Eu Não Sou um Homem Fácil

 

Imagens: Reprodução (Google) e YouTube.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s