Da Série #Viagens

Viva Conosco na Estrada: Tiradentes e Bichinho

Olá! Hoje vamos contar como foi nossa viagem para outras cidades do interior de Minas.

Dessa vez, nosso destino foi a charmosa Tiradentes, que completou 300 anos no dia 19 de janeiro, e sediava a 21ª Mostra de Cinema. Também passamos por Bichinho: um vilarejo gracinha, a apenas 7 km de Tiradentes.

21 MOSTRA DE CINEMA EM TIRADENTES MG (4)

A ideia

Ao longo da minha vida, visitei Tiradentes em diferentes ocasiões: com meu pai, para andar na Maria Fumaça, com minha mãe para ver a folia de Carnaval (de longe, rsrsrs…), diversas vezes com os amigos e com o João para curtir as belezas arquitetônicas de naturais da cidade, além de aproveitar tudo que a Mostra de Cinema tem à oferecer.

Por isso, quando a nossa amiga Joyci (olha ela aqui de novo, hehehe…) fez o convite para passearmos mais uma vez por lá e conferirmos o último dia da Mostra de Cinema aceitamos.

Claro que também tínhamos outro interesse: há séculos João fala o quanto gostaria de conhecer Bichinho, por isso, essa seria uma oportunidade ideal para “saciar” esse desejo do marido. 😉

Tiradentes

Nomeada em homenagem a um dos líderes da Inconfidência Mineira, a cidade encanta pelo charme da arquitetura, pelo clima tranquilo de uma típica cidade do interior e, claro, pelas saborosas delícias disponíveis (queijos, doces, chocolates e por aí vai).

Tiradentes fica a 191 km  de Belo Horizonte – uma viagem de carro com duração aproximada de 3h.

Começamos nossa viagem relativamente cedo no sábado, dia 27, saindo de casa às 08h45min. Chegamos à pousada por volta das 11h30min e já ficamos positivamente surpresos: a Pousada Villa Bizuca, escolhida pelo preço mais acessível e pelas boas avaliações no Booking é uma graça! Ela realmente parece uma vilazinha, onde cada quarto é uma “casinha”, cada uma mais fofa que a outra.

Obs.: a pousada é uma delícia, com um café da manhã bem farto. Porém, fica meio longe da cidade e não é indicado fazer o trajeto a pé. Por isso, descemos de carro para o centro, estacionamos em um lugar estratégico e fizemos todo o nosso passei a pé – inclusive, esse é o melhor jeito de conhecer Tiradentes. 😉

Fizemos nosso check-in e já fomos direto para o centro da cidade para almoçarmos – após 3h de viagem, estávamos famintos.

Nossa escolha para o almoço foi um restaurante mexicano chamado CasAzul Bistrô, localizado à Rua da Cadeia. Sua decoração é toda inspirada na artista Frida Khalo e tudo faz referência à ela e ao México.

Nosso pedido foi bem “farto”, o que resultou na continha salgada no final. Apesar o preço, ficamos mais que satisfeitos e fomos sentir fome só à noite, rsrsrs…

  • Entrada: Tapas Mexicanos (quesadillas, tacos e um canapé com guacamole) e uma salada de folhas verdes, com manga e filé mignon.
  • Pratos principais: Joyci e eu dividimos um medalhão de filé mignon, acompanhado por um delicioso penne. João optou pela batata acompanhada por carne moída, sour cream e outras ervas.
  • Bebidas: João ficou de boa, com uma coca-cola. Joyci e eu fomos no álcool – ela pediu Mojito e eu fui de Cuba Libre.
  • Sobremesa: não pedimos nada por lá, mas passamos depois em uma chocolateria 😉 .

Após o almoço, fomos passear pela cidade. Passamos pela Câmara Municipal e tiramos várias fotos em frente à Matriz de Santo Antônio.

Flanamos tranquilos pela famosa Rua Direita, vimos a estátua de Tiradentes, passamos pela igreja Nossa Senhora do Rosário.

Visitamos o Chafariz São José e, depois, fomos descansar das andanças na Praça Principal.

Tem MUITO mais coisa para ver e fazer em Tiradentes, mas como já conhecíamos a cidade, deixamos nossos pés guiarem o caminho.

Às 17h e pouco da tarde, nos dirigimos ao Cine Tenda para “honrar” nossa passagem pela Mostra de Cinema. Como o filme só começava às 18h30min, andamos mais um tiquinho pelas redondezas e eu dei aquela cochilada gostosa em um dos puffs da Tenda (estava LOUCA para dar AQUELA cochilada, kkkk…).

18h, uma fila para o filme se formou e nos juntamos à massa. A obra em questão veio direto de Curitiba e aborda temas como política, vida nas comunidades, opressão da polícia e preconceito. Após apresentação da equipe técnica e elenco, deu início à sessão.

Detalhe: encontramos nossos amigos Rafael e Leo, e aproveitamos o resto da noite juntos.

LUTH - Restaurante em Tiradentes MG (5)

Depois da sessão, fomos para a praça para definirmos onde iríamos jantar. Optamos pelo Luth Bistrô, localizado à Rua Direita. A decoração é linda, bem romântica, com gambiarras no jardim e flores nas mesas e nos jogos americanos.

Com diferentes opções de carnes e massas, dividi um prato com o João e, claro, ambos arrependemos depois, pois queríamos mais. Nossa escolha foi um macarrão com molho de ervas, acompanhando por um filé mignon ao ponto, com molho de cogumelos.

Aqui o preço também é salgadinho, mas a satisfação de comer uma refeição deliciosa vale a pena.

Encerrado o jantar, fomos encontrar nossa sobremesa no Rocambole & Cia. João e eu comemos brigadeiro, Rafael comeu outros docinhos, Leo foi tradicional e pegou o rocambole com calda de amora e a mãe do Rafael (que nos encontrou depois) inovou, e pediu um pastel de angu com carne (???).

Depois desses momentos deliciosos, nos despedimos e fomos para a pousada nos refrescar com um belo banho (estava um calor dos infernos…) e dormir: no dia seguinte conheceríamos Bichinho e retornaríamos para BH.

Bichinho

Acordamos às 08h no domingo e começamos o dia com um farto café da manhã: frutas, pães, bolos – sucos, tudo muito saboroso.

De lá, arrumamos nossas coisas e partimos para Bichinho.

O vilarejo fica à 7 km de Tiradentes e, por isso, chegamos rapidinho. Ele é bem pequeninho, tendo uma grande rua principal que o corta entre Tiradentes e Prados e que é recheada com lojinhas de artesanato.

Nossa primeira parada foi a atração mais famosa de Bichinho: a Casa Torta. Um museu dedicado à lembrar os adultos como era ser criança. A entrada é R$10 por pessoa e dá direito a 1h de diversão na casa.

Obs.1: chegue cedo. Chegamos por volta das 10h15min e conseguimos aproveitar bastante, tendo mais liberdade para andar entre os cômodos da casa e tirar fotinhas sem “Roberts”.

Obs.2: a casa SÓ aceita dinheiro. Por isso, vá preparado.

Depois de fazermos nossa sessão de fotos, partimos para explorar o vilarejo.

Andamos por boa parte da extensão da rua principal e entramos em algumas lojinhas para investigar – muita coisa linda e original, de encher os olhos.

Bichinho - MG (9)Bichinho - MG (3)CasaTorta em Bichinho-MG (15)

Em seguida, paramos na Cachaçaria Mazuma Mineira. A entrada é linda, repleta de flores e bem idílica. Na cacharia mesmo, não entramos – apesar dos protestos da Joyci, João e eu estávamos cansados e estafados pelo calor e ficamos com muita preguiça de subir os vários degraus e morrinhos que necessários para chegar até ela.

Bichinho - MG (5)Bichinho - MG (6)

*Caso tenha interesse, você pode clicar aqui para saber mais sobre a visitação guiada gratuita ao local.

Finalizadas as fotinhas, decidimos retornar para Belo Horizonte. Abastecemos o carro e pegamos a estrada.

autora-diana

Um comentário em “Viva Conosco na Estrada: Tiradentes e Bichinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s